sábado, 19 de abril de 2014

Ensaio Sobre a Cegueira - José Saramago

Imagine um livro onde nenhum personagem tem nome. Nem mesmo a protagonista.
Só esse fato já deixaria o livro, no mínimo, diferente.
Agora imagine uma narrativa que não contém travessão, dois pontos ou qualquer artimanha que nos faça distinguir o que é um diálogo entre personagens e o que é a fala do narrador.
Também não se espante com o tamanho dos parágrafos. Um único e mísero parágrafo tem o tamanho de mais ou menos 2 páginas inteiras.
Ah... Não existem capítulos!
E a história? Nada mais, nada menos que uma epidemia de cegueira.
Se ainda assim, você não despertou sequer um pingo de curiosidade pela obra...
Retorne ao seu planeta natal, ET.



A história:

Enquanto estava parado no sinal vermelho, um motorista perde a visão subitamente. E não é uma cegueira qualquer, é uma cegueira completamente branca. 
Tentando resolver o problema, o recém e desesperado cego procura um médico oftalmologista. O médico não encontra nada além de olhos totalmente saudáveis. Saudáveis e cegos.
A cegueira que iniciou no motorista, rapidamente se espalha e todos vão perdendo a visão. Inclusive o próprio Oftalmologista!
A epidemia se alastra de tal modo que o governo toma uma atitude drástica: Todos os infectados e pessoas que tiveram contato direto com os cegos (mesmo que ainda estejam enxergando) são mantidos em quarentena em um manicômio e proibidos de sair.
O manicômio é protegido por soldados com ordens explicitas de atirar para matar aquele que tentar escapar.
Aos poucos, todos vão perdendo a visão. A unica pessoa que continua a enxergar é a esposa do Oftalmologista. Essa mulher, que de alguma forma literalmente inexplicável não perdeu a visão, é a protagonista da trama. 
A história do livro resume-se basicamente nos acontecimentos dentro e pós quarentena e como as pessoas passam a viver nessa nova e cruel realidade.


Minha opinião:

Serei muito sincera. Não gostei nem um pouco.
Eu nunca havia lido nada do José Saramago. A forma com que ele escreve, na minha opinião, é um desserviço à obra. 
Já ouvi pessoas falarem que você estranha a escrita do autor no começo, mas depois se acostuma. No meu caso, a estranheza só aumentava em cada página virada. Foi algo que me irritou profundamente desde o começo até o fim (se é que posso chamá-lo assim). 
Durante todas as 310 páginas, tudo o que eu pensava era "como essa história teria ficado melhor se fosse escrita da forma padrão".
Não consegui me relacionar com NENHUM personagem. Não pelo fato de não terem nomes, mas simplesmente porque as atitudes de muitos eram tao parecidas, tao previsíveis, tao o mesmo do mesmo... 
Eu poderia também levantar a questão de ter me sentido enrolada pelo autor por não ter meus questionamentos respondidos no fim do livro. Porém, convenhamos, a foco do livro não era desvendar o lado cientifico da doença e sim analisar o comportamento humano perante a ela. Os "porquês" não fazem parte do foco da trama. 
Outro ponto que cabe destacar é que em determinados momentos, o autor permanecia várias páginas em uma situação que não agregava em nada na história. Já em outros momentos em que acontecia algo realmente relevante, era uma passagem tao rápida que eu precisava parar, voltar e ler de novo para ter certeza do que aconteceu.


Concluindo:

Saramago constrói esse universo cego a partir de uma perspectiva bastante pessimista (e realista, devo admitir). Grande parte dos acontecimentos relatados eu acredito que aconteceriam de verdade, caso houvesse uma epidemia cega na vida real.
Sei que Saramago é um escritor respeitadíssimo aos olhos do mundo literário e não serei eu com a minha insignificante opinião que irá abalar isso. Porém, ainda estou à procura desse brilhantismo todo que tanta gente viu em Ensaio sobre a Cegueira
Eu, pelo menos, não vi... 
Será que ceguei?


Até a próxima livre e espontânea leitura, galera!
E não esqueça de deixar seu comentário =)

27 comentários:

  1. Eu amo Saramago! Adoro a escrita dele!! É como se ele estivesse contato a história, ali do seu lado e não como se vc estivesse lendo.

    Mas claro, gosto é gosto e não é todo mundo que se identifica nem com a forma com a qual ele escreve e nem o tipo de história. Mas as vezes esse não foi o momento certo pra vc ler esse livro, dá mais uma chance para ele, de repente um livro mais curto ;)

    Beijos Isadora
    http://novoromance.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez, Isa!
      Não desistirei do Saramago não! Estou pensando em ler "As Intermitências da Morte", muita gente diz que é bom.
      Obrigada pela visita!

      Excluir
  2. Sei que ele é um escritor respeitadíssimo, mas nunca li nada dele...
    De repente vc começou com um livro muito complexo, não desiste não...tenta um mais simples.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Minha professora de literatura falava muito sobre esse livro no ensino médio.
    Ela sempre o elogiou muito, mas não tive a oportunidade de lê-lo.
    Mas eu não sabia que a estrutura dele é assim, parece ser bem legal.
    Vai entrar para listinha.
    Eu nem me lembrava mais dele.

    http://enquantoestavalendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida você nunca leu nada parecido com a escrita do Saramago.
      Apesar de eu não ter gostado da forma com que ele escreve, gosto é gosto e pode ser que você goste!
      É, no mínimo, interessante =D

      Obrigada pela visita! Beijos!

      Excluir
  4. só vi o filme, mas acredito que o livro seja ainda mais intenso, sem falar na forma impar de Saramago de escrever e envolver
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda nao vi o filme, Thaila!
      Esperei terminar de ler o livro primeiro... Dizem que o filme é fantástico!

      Obrigada pela visita!
      Beijos!

      Excluir
  5. Nunca li nada dele e nem pretendo ler. Cada um tem um gosto e devemos respeitar os que são diferentes dos nossos. Você foi muito corajoso em dizer o que achou na resenha. Está sujeita a ouvir muita besteira dos fãs do autor heheheh. Falei uma vez que não tinha vontade de ler Clarice Lispector e quase fui linchada.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Sil!
      Eu já li Clarice Lispector. Li uma coletânea de contos dela.
      Eu nunca tinha lido nada dela até então, mas essa coletânea cairia no vestibular, daí acabei lendo.
      Achei super complexo! Mas não no sentido interessante, profundo... Complexo no sentido VIAJÃO mesmo! Procure sobre o conto "O Ovo e a Galinha", da Lispector. Até hoje, não consigo compreender um parágrafo sequer.
      Mas, como você mesma disse, gosto é gosto :)
      Obrigada pela visita, beijos!

      Excluir
  6. Oi!

    Quero muito ler algo do Saramago. Tenho alguns livros dele aqui esperando para serem lidos. Espero conseguir fazer isso em breve. Que pena que a leitura não te agradou. Já sabia dessa peculiaridade na escrita dele. Vamos ver como será minha experiência com as obras dele quando ler.

    Ps: obrigada pelo comentário que deixou no blog. Fico feliz que goste dos vídeos e que acompanhe o canal!

    Beijos e boas leituras!
    Amanda,
    Lendo & Comentando
    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero de coração que você goste da forma com que o Saramago escreve, Amanda! Apesar de eu não ter conseguido me habituar, a história é criativíssima, devo admitir!
      Estarei sempre acompanhando o seu canal e o blog! Obrigada pela visita! Beijos!

      Excluir
  7. Está aí um livro muito aclamado que nunca me despertou interesse e depois desta descrição de parágrafos de duas páginas, fiquei mais desinteressada ainda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Maria... Infelizmente não gostei =/
      Mas muuuita gente gosta da forma do Saramago de escrever. Quem sabe você gosta, né?
      Beijos!

      Excluir
  8. Olá flor. Eu demorei para engatar nessa leitura. Tive que ler na faculdade e eu gostei. Claro que a gente estranha e muito. Mas consegui ignorar e também tive uma professora muito boa nos auxiliando na obra. Super beijo, seguindo o seu blog.
    Achei ele lindo *.*
    http://estoulendoo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ane!
      Que bom que você conseguiu ignorar a estranheza que nos dá quando lemos Saramago! Eu juro que tentei muito conseguir ignorar também hehe
      Mas nao desiste dele nao... Pretendo pegar outro livro dele, quem sabe eu me acostumo =)

      Que bom que gostou do blog!! Obrigada!
      Beijos ♥

      Excluir
  9. Jú, eu vou confessar que nunca lí nenhuma obra do autor, mas sempre tive curiosidade sobre Ensaio sobre a cegueira, já perdi essa curiosidade...
    Na verdade vou ler, pra matar a vontade apenas.
    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso Evelin, nao deixa de ler nao!
      Vai que você gosta, né?
      Muita gente amou! E por mais que eu nao consiga me adaptar com a forma com que o Saramago escreve, nao há de negar que ele analisa o comportamento humano como ninguém!
      Beijos!

      Excluir
  10. Oi, Ju. Eu li Ensaio sobre a Cegueira e fiz resenha dele no meu blog. Demorei um pouco para me acostumar com o estilo do Saramago, e lia as frases na correria, sabe? Mas no fim acabei gostando. Eu me imaginava na mesma situação deles, fosse eu um dos cegos ou a mulher do oftalmologista, e isso já me deixava em pânico!
    Beijos!

    www.diarioquaseescritora.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lê, é de assustar né?
      E ele explica que uma forma que fica muito real mesmo... Parece que se acontecesse algo assim, seria tudo igualzinho a como ele falou!
      hehe
      Que bom que a leitura te agradou!
      Beijos!

      Excluir
  11. Amo esse livro. Concordo que a escrita dele é esquisita e cansativa à primeira vista. O cara não usa ponto final e um paragrafo pode ter dez páginas. Realmente, é de se assustar. Mas depois que seus olhos se ajustam a isso, a leitura flui e você não vai querer largar mais. É um livro crítico, que coloca as pessoas em situações quase primitivas. Onde elas são colocadas em situação de sobrevivência. O texto é muito rico.
    Existe a continuação do livro, o Ensaio sobre a Lucidez. Vale a pena dar uma conferida tb.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fernanda! Pois é, muita gente me diz que depois que eu me acostumo com a forma com que ele escreve, a leitura flui. Infelizmente, o livro acabou e eu ainda não tinha me acostumado. Me causou até uma irritação enorme a forma da escrita.
      Mas que bom que você conseguiu se adaptar =)
      Beijos!

      Excluir
  12. Apontaria, para justificar o brilhantismo do Saramago, pelo menos dois pontos:

    1. a capacidade de criar situações com um realismo tão grande, que a gente acaba ficando enojado, angustiado, emocionado etc. A história é muito crível!

    2. A capacidade de apreender o humano. Como vc disse, se essa epidemia de cegueira de fato ocorresse, as pessoas provavelmente reagiriam daquelas formas mesmo do livro. Então, essa compreensão da dimensão humana (que acaba nos ensinando para além do divertimento literário) é que é difícil de desenvolver na arte, mas que ele consegue alcançar.

    Particularmente, acho esse romance excelente.

    Beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Aline!
      Concordo contigo nos dois pontos. Ele tem indiscutivelmente uma visão de comportamento humano muito precisa.
      Quanto a isso eu realmente gostei... O problema mesmo foi eu nao ter conseguido me relacionar com os personagens e, principalmente, a forma com que ele escreve que me incomodou demaaaais.
      Mas que bom que você gostou!
      Beijos!

      Excluir
  13. Eu amei esse livro. Ele desperta um turbilhão de sensações no leitor.
    Ele coloca o ser humano em uma condição quase animal, você percebe o que o instinto de sobrevivência faz conosco.
    O formato do livro é diferente, mas não tive problemas quanto a isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou obrigada a concordar com você, Fernanda!
      Senti muitas coisas, até nojo em algumas partes do livro... O ser humano se transforma mesmo!
      Pena que nao consegui me acostumar com a forma com que ele escreve...
      Mas que bom que você conseguiu!
      Beijos!

      Excluir
  14. Julia, Saramago é bem denso mesmo. E, ele não é um autor para ser lido com leveza. Ele é um autor que deve fazer parte da vida, mas de determinados momentos. Ler ensaio sobre a Cegueira pode ser uma experiência terrível, no momento errado.
    Sua escrita é feita para angustiar e nos deixar enjoados. Ele parte de uma história fictícia e nos coloca diante de um mundo bem real. Isso para dizer o mínimo.
    Lembro que quando li esse livro eu fiquei muito incomodada, deixei o livro de lado várias vezes e, até hoje consigo visualizar determinadas cenas. Nisso reside o brilhantismo, pois é um livro que não termina quando você vira a última página. Saramago você leva pra vida, mesmo quando você tem vontade de parar de ler, se cansa e quer jogar o livro longe. Esse livro mostra, como o ser humano se comportou e ainda vai se comportar ao longo da história da humanidade. A luta de sobrevivência, as angústias, o egoísmo e a violência do homem.

    Te recomendo muito o filme, o diretor foi o Bruno Barreto e ele foi feito em cooperação com atores estadunidenses. Acho que o filme vai te responder muito e provavelmente te angustiar mais. Faz parte, isso é Saramago.

    ResponderExcluir